Prevenção de suicídio na adolescência

19 ago 2017

Por Itiene Soares Pereira

Atualmente estamos vivenciando diversos relatos de tentativas e suicídios de adolescentes. Embora esse assunto não seja agradável de ser dito, engana-se quem pensa que não falar a respeito de suicídio com quem já realizou alguma tentativa ou cogita a possibilidade de fazê-lo, ajuda a pessoa a não executar o plano.

A adolescência é uma fase de muitas mudanças em que há uma grande chance deste indivíduo sentir-se fragilizado devido às transformações que ocorrem no campo: físico, social e psicológico que, por si só, já requer um olhar atento dos pais, escola e sociedade.

Nessa fase de transição entre a infância e a vida adulta que é a adolescência, há inúmeros conflitos. O indivíduo ora se acha adulto o suficiente para realizar determinadas ações e ora comporta-se como uma criança que não pode ser frustrada.

Na sociedade atual o jovem adolescente tem acesso a diversos conteúdos que muitas vezes é um atentado à vida, como é o caso do Jogo da Baleia Azul, por exemplo, jogo este composto por 50 fases estando entre os desafios a automutilação ao desenhar baleias no corpo,  assistir a  filmes de terror e por último o suicídio.

Neste jogo há troca de mensagens em um grupo nas redes sociais, bem como um curadores que propõem os desafios. O adolescente que aceita entrar nesse jogo sabe exatamente que no final ele terá que tirar a própria vida, mas não sabe que quem está liderando as ações é uma pessoa manipuladora.

Vocês acreditam mesmo que qualquer adolescente aceitaria participar de um jogo desses?

A resposta é não. As pessoas mais vulneráveis são aquelas que apresentam um cuidado parental pobre e ambiente disfuncional, auto estima baixa, ambiente pouco favorável para o diálogo no ambiente familiar e submetido a críticas constantes.

De acordo com a OMS o suicídio não tem uma causa específica, ele é resultado de um conjunto de fatores, sendo estes: biológicos, genéticos, psicológicos e socioculturais.

Diversas situações podem servir de alerta, pois podem ser desencadeadores de instabilidade emocional, que podem desencadear na possibilidade de um adolescente vir a tentar suicídio, tais como conflitos: na escola, na família, com a lei,  com o(a) namorado(a), um conflito afetivo, perda de um amigo(a) seja por morte ou por mudança de cidade ou escola.

Alguns comportamentos devem ser observados para considerar que o adolescente pode vir a estar considerando esta hipótese:

Mudança de comportamento. Não se interessar por fazer coisas que antes gostava muito.

  • Ficar triste a maior parte dos dias ou chorar por qualquer coisa.
  • Falta de vontade de estar com os amigos que antes ele fazia questão.
  • Excesso de sono ou falta de sono.
  • Isolamento social é muito prejudicial.
  • Presença de outros transtornos como Anorexia, bulimia podem desencadear ansiedade, depressão.
  • Presença de algum rito de despedida. A maior parte das pessoas começam a se despedir das pessoas que gostam.

 O que os pais podem fazer caso percebam que o seu filho está pensando em suicidar-se?

Quando temos um problema qualquer que seja ele, reconhecer a existência desse problema é o primeiro passo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde quem fala ou cogita a possiblidade de tentar suicídio tem 30 vezes mais chance de chegar a fazê-lo do que quem não cogita essa possibilidade e se a pessoa já tentou outras vezes a chance de conseguir também aumenta. Por esta razão, não pense duas vezes e pergunte abertamente ao seu filho(a) se ele já pensou ou pensa nisso.

Se a resposta for sim, não se desespere.

  • Neste momento o melhor que você pode fazer é escutá-lo. Prestem bastante atenção. É escutá-lo e não ouvi-lo. Escutar é algo muito mais profundo, você procura entender a dor dessa pessoa e ao invés de julgá-lo, se coloca numa posição de quem quer entender o que está se passando na cabeça dela e procura ajudar e acolher. Quem tem pensamento suicida necessita de ajuda e não de críticas, pois estas serviriam apenas para agravar o quadro em que a pessoa se encontra.
  • Diga o quanto seu filho é importante para você e que você está preocupado de vê-lo daquela forma e que juntos vão buscar a ajuda necessária para que possam enfrentar e superar essa dificuldade.
  • Informe-se. Quanto mais você conhecer sobre o assunto, mais vai poder ajudar.
  • Procure ajuda de um psicólogo. Este profissional poderá ajudar seu filho e orientar você pai do que fazer para ajudar seu filho.
  • Retire o acesso a toda e qualquer medicação, pois estas podem ser utilizadas para seu filho tentar livrar-se do sofrimento.
  • Se tiver arma em casa arrume outro lugar para guardá-la.

 

Se você é pai…

Interesse-se pela vida de seu filho. Arrume tempo para saber quais são suas dificuldades, suas conquistas, seus colegas, do que seu filho gosto, do que ele não gosta, o que aprendeu, o que ele pensa sobre diferentes assuntos que estão sendo veiculados na mídia. Quando você cria um ambiente propício ao diálogo, você se beneficia tanto quanto seu filho. Podemos transformar uma dificuldade em oportunidade. Saiba o que ele pensa, faça as devidas correções a respeito do que ele está interpretando de maneira equivocada caso seja necessário e acrescente as informações que julgar importante para que ele reveja seu pensamento a respeito de determinado assunto.

Faço o seguinte convite aos pais que estão passando por essa situação e àqueles que não estão passando, mas que tem filhos. Aproximem-se dos seus filhos. Se você está distante de seu filho esta é uma oportunidade para rever a forma como tem se relacionado com ele. Construa um relacionamento aberto e saudável de maneira que seu filho possa ter você como referência, pois ele ainda não tem uma estrutura psíquica formada e as influências e experiências que ele tem irão contribuir no processo de construção de sua identidade. Uma das formas que você utilizar para fazer essa aproximação é falar também de suas dores emocionais quando tinha a idade dele.

Embora o suicídio seja uma tentativa de acabar com a dor ele tem o efeito contrário, pois gera mais dor. Não ignore se você tem a informação ou observa que alguém está pensando em se matar.

Não temos o controle, não podemos garantir que o adolescente não irá retirar a própria vida, mas podemos fazer a nossa parte criando: um ambiente familiar saudável, acolhedor e funcional; identificando situações de risco e promovendo espaços de discussão ao invés de fingir que o assunto não deve ser discutido; aumentando a conscientização acerca dos cuidados com a vida, seja na escola, em casa ou em outros espaços sociais. Essas são algumas das contribuições que podemos colocar em prática para tentar reduzir a chance que mais vítimas ocorram e que mais famílias sejam machucadas com a perda de um ente querida por suicídio na adolescência.

Por último, mas não menos importante, gostaria de divulgar o Centro de Valorização da Vida (CVV). Você pode ter acesso pelo telefone 141. Esta instituição tem como objetivo prevenir o suicídio e prestar apoio emocional às pessoas que necessitam de falar esse tema. O atendimento pode ser realizado por telefone, Skype, chat ou email e é realizado por voluntários de forma gratuita e com o devido treinamento para ajudar a quem necessita com total sigilo. Funciona 24 horas por dia. Não deixe de repassar essa informação. Pode ser muito útil e ajudar a salvar vidas numa situação emergencial. Faça sua parte! Divulgue esse número 141.

 

Fonte:

 Prevenção do suicídio: manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental acesso em 17/08/2017.

50 desafios do jogo da baleia azul. http://midiabahia.com.br/cotidiano/2017/04/19/veja-os-50-desafios-jogo-baleia-azul/ acesso em 17/08/2017.

13 coisas importantes sobre suicídio: para pais, amigos, namorados e professores. https://www.facebook.com/Vamos-falar-sobre-o-suic%C3%ADdio-537447459781281/ acesso em 17/08/2017.

Centro de Valorização da vida. http://cvv.org.br/ acesso em 17/08/2017.

OMS(2016): suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo. https://nacoesunidas.org/oms-suicidio-e-responsavel-por-uma-morte-a-cada-40-segundos-no-mundo/ acesso em 17/08/2017.